terça-feira, 5 de maio de 2009

Viagem a Cabo Verde - Ilha do Sal (2006)

Cabo Verde

Viagem comprada na Abreu rumo ao aeroporto do Sal.

Cerca de 3,5h de viagem
Chegada por volta das 2 da manhã.

A porta do avião da TAP (Camões) abre-se. Uma humidade daquelas, um ar abafado e, de repente, parece que ficamos com a roupa colada ao corpo.
Passagem pelo controlo de estrangeiros, pagamento de 15€ de taxa de turista.
Recepção por parte da equipa da Abreu rumo ao hotel Novorizonte. Até lá cerca de meia de hora de caminho, por uma paisagem, que apesar da noite, dá para perceber que é agreste e desértica. O caminho faz-se por uma auto-estrada, pelo menos tem duas faixas em cada sentido. É a única estrada com asfalto na ilha, as restantes são em terra batida.
Chegada ao hotel, pensando eu descansar da vida quotidiana e a televisão do Hall estava sintonizada, para mal dos meus pecados, na TVI, essa televisão de "referência" nacional.
Lá fomos para o bungallow com vista para o mar, tal como havíamos pedido antecipadamente na Abreu.


Manhã seguinte:
Tomado o farto pequeno almoço, lá vamos nos todos contentes, para o mar azul claro e quente como "sopinha". - AH, isto sim, não é como a gélida água dos mares portugueses. Qual Algarve...
Nos dias seguinte conhecemos mais alguns portugueses, o que dá sempre jeito para realizar excursões a meias.
Depois, no 4º dia fizemos a única excursão da viagem. Conhecemos um Cabo Verdiano, muito simpático e porreiro chamado Nelson, que tinha uma 4*4 (na lateral estava escrito excursões "Buracona"- é um dos sítios típicos) e nos levou a dar uma volta pela ilha, a mesma que o operador faz, mas bem mais barata - 15€ a cabeça - É um tipo de confiança e anda lá sempre pelo hotel. Levou uma manhã inteira e ainda viemos a tempo de almoçar no hotel, poupando o almoço fora das instalações. Fomos à Buracona, ou olho azul, Baía dos tubarões, salinas, mais um local fenomenal para mergulhar de que não me recordo do nome, umas pequenas vilas de lá e vimos um local de desova das tartarugas. Depois regressámos ao hotel por volta das 14h, mesmo a tempo do almoço.

No dias 3 e 5 visitámos a Cidade de Santa Maria do Sal, a uns escassos 8 minutos a pé do Hotel, isto se não forem interpelados pelos Senegaleses que lá andam. Se forem acrescentem mais uns 10 minutos. Eles não faem mal a ninguém, apenas tentam vender qualquer coisa por qualquer preço - trançinhas para as senhoras, pinturas de areia, esculturas de madeira ou o jogo típico "oril". Todos vendem o mesmo.
Não há qualquer problema de segurança e os cabo verdianos são excelentes pessoas.
No Domingo fomos à missa pela manhã à igreja de Santa Maria do Sal.

Chegámos um pouco antes e deu para ver que um senhor esteve a montar a aparelhagem cerde de meia hora. Durante a missa há muitos cantares, tambores e batuques. O coro é de crianças e o padre era Brasileiro.
A praia não é privada, mas há lá poucos habitantes a irem para aquelas praias. Normalmente só as crianças lá vão.

Foi uma grande viagem, onde fizemos grandes amigos...

Que Sa"l"dade me deixa aquela viagem...











GIF generico 468x60

4 comentários:

  1. Ola fui para Cabo Verde em 2005 de Lua de mel e amei.
    Ficaste no mesmo hotel que nós.
    Agradeço ja agora a descrição de Samaná. Vamos em Agosto e é sempre bom saber com o que contar.
    Já agora os preços das excursões são à volta dos 75dolares? Terei percebido mal? Tenho visto preços que rondam os 250 a 300?
    Se puderes responde no forum d' onossocasamento onde deixaste o link para estas paginas. Obrigado.
    Débora

    ResponderEliminar
  2. Ja fui á ilha do sal, foi a melhor viagem da minha vida, aquilo é lindo, e por acaso tambem fiquei nesse bungallow 614 xD

    ResponderEliminar
  3. Já fui a Cabo Verde duas vezes,Iha de Santiago, Fogo, São Vicente e Santo Antão.

    Parabéns pelo blog!

    www.fotografiasdepaisagens.com

    ResponderEliminar
  4. Eu sou há de São Vicente agora no final de janeiro. Já ouvir que lá ninguém dorme, será que é seguro andar lá à noite. Somo 3 raparigas e um rapaz, também já ouvir que as raparigas são muito acediadas.

    ResponderEliminar