terça-feira, 5 de maio de 2009

Viagem a Samaná - República Dominicana







Samaná - República Dominicana (2008)
Côcos, côcos e mais côcos.

Partida do aeroporto de Lisboa por volta das 12h num avião da Sata (ilha terceira) rumo ao aeroporto internacional de Samaná. O aeroporto é recente e aquele destino também. Mas a província de Samaná tem das mais belas praias do mundo - Playa Rincon, Las Terrenas, Las Serenas... E outros atractivos como a Cascata EL Limon, onde há sempre uns Dominicanos "voadores". São uns tipos que se lançam para aí de uns 10m de altura para a água.

Ficámos no hotel Gran Bahia Principe CayaCoa em Samaná.
Tem duas praias que não são privadas e não são grandes. Mas, o que vale a pena são as praias que existem no resto da província.


À chegada fomos logo avisados para o estilo exótico de condução daqueles tipos. "Aqui não se guia aqui se esquiva" - dizia o guia da Soltour. Pois é, para os fulanos não há esquerda nem direita, rotundas ou contínuos. Mas eles lá andam. É normal ver ultrapassagens pela direita, motas a fazer a rotunda pela esquerda ou veículos a circular em contra-mão.

Como já devem saber, as viagens pelo operador são caras e portanto procurámos por um Dominicano que fizesse a coisa por um preço bastante inferior. E, encontrámos, logo na praia do Hotel. Ao fundo da praia existe uma ponte e aí debaixo costuma estar um Dominicano, de seu nome Ramon, que domina o negócio das visitas guiadas lá na zona. O serviço é excelente e podem crer que ficam melhor servidos do que com o operador. Come-se nos mesmo sítios, durante o caminho de camioneta de caixa aberta, mas coberta, tem-se bar aberto com o que quiserem beber (a famosa vitamina é muito apreciada, é uma espécie de Rum um bocado rançoso) visitam-se os mesmos locais, e ainda mais, o preço é cerca de 3 a 4 vezes inferior.
Só para terem uma ideia:
Duas pessoas fizemos 3 excursões com ele.
1ª - Las Terrenas e Playa El Rincon. Esta última é considerada a 4ª mais bela praia do mundo. E isto não é dito pelos locais, mas por revistas da especialidade. Trata-se de uma praia deserta de difícil acesso (mas de onde não apetece sair...). Os operados turísticos, tipo Soltour, levam os seus viajantes de barco, pois a estrada até lá é complicada, e só de todo-o-tereeno se lá consegue chegar. Velocidade, 20km/h. O almoço foi nessa praia. Comeu-se um peixe meio frito meio grelhado. Las terrenas é uma praia de uma vila que já tem hóteis e muitos estrangeiros. Não percebi de que nacionalidade, mas não havia lá portugueses. (Creio que ficou tudo em 30 ou 35 dolares por pessoa.)

2ª Cascata el Limon e Las Serenas - Passeio a cavalo incluído (cuidado com as pulgas dos bichos, levem repelente). Eramos guiados por uns miúdos que só recebem o que o turista lhe dá. Nós demos 5 dolares a cada um. Chegada À Cascata El Limon e pode-se mergulahr numa água, que nada tem que ver com o mar, é geladíssima. Durante o trajecto há a oprtunidade de ver algumas culturas locais como o café ou o ananás. Cocos é por toda a parte da ilha.
Segue-se o almoço Self-Service num coberto muito giro.
À tarde fomos visitar a prais Las Serenas. Nada de especial para quem no dia anterior viu algumas das mais belas praias do mundo. De qualquer forma a praia é belísima, mas já tem muitos turistas e Dominicanos. Há miúdos a vender muitas coisas, entre as quais ostras por tuta e meia. (5 dolares a dúzia ou algo do género).
Preço final da viagem(75dolares 2 pessoas.)

Parque Nacional Los Haytises e Ilha Bacardy ou Cayo Levantado.
O Parque é uma zona de grutas, onde filmaram o Pirata das Caraíbas e naulgumas das grutas existem pinturas rupestres com 2000 anos. Nada de especial para quem tem Foz Côa com 20000 anos. O transporte de e para o parque é feito num barco de dois motores muito potente, que me deu a sensação ser do operador, e que o Ramon nos arranjou maneira de meter lá.(Tudo amigos).
A entrada no parque é paga, mas nós lá negociámos com o Ramon e tudo ficou incluído no preço.
Segue-se para o Cayo Levantado que é uma ilha rodeada de água aul turquesa e alguns recifes onde se pode mergulhar. Tem uma fauna e flora impressionantes. TIve contacto com uma das maiores estrelas do mar que alguma vez vi.
O almoço já foi nesta ilha
A aventura foi quando tivemos de regressar. Os tipos do barco que nos levou quiseram vir muito cedo e nós queríamos ficar a aproveitar. Então qual foi a nossa decisão. Uma das portuguesas que conhecemos no Hotel estava grávida e não foi visitar o parque apenas foram ao Cayo Levantado numa espécie de Barco-táxi. Normalmente o barquito dá para 7 ou 8 pessoas, pois bem, no regresso eramos cerca do dobro. O senhor não nos queria trazer, mas o nosso guia, amigo do Ramon, que ficou sempre connosco, lá lhe deu a volta. E nada que uma gorja não faça milagres.
Escusado será dizer que cada ondita que aparecia cada molha que apanhávamos, pois a água estava a uns escassos 5 ou 10 cm do cimo do barco. Foi giro
(O preço desta creio que mais ou menos o mesmo das outras.)



Contas feitas o Ramon terá ganho cerca de 250 dólares por cada duas pessoas.


O resto do tempo foi passado no hotel, na piscina, no seu jacuzzi e nas praias do hotel.

Fizemos algumas incursões ao Pueblo para comprar Souvenirs. O Pueblo são umas instalações do hotel junto à marginal. Há uns transportes de e para o hotel a cada 15 ou 30 min.as vezes basta pedir para telefonar que os carritos lá aparecem.

Façam as reservas para os restaurantes temáticos logo no início. Nós baldámo-nos e já não tivemos lugar no de marisco. Apenas no italiano e Francês.



GIF voo 468x60

5 comentários:

  1. Obrigada por todas as dicas! Estamos a pensar ir para lá em Agosto!E excursões até às principais cidades? É fácil? Obrigada
    Inês e Rui

    ResponderEliminar
  2. Não fizemos nenhuma até porque já não tinhamos agenda para tal. Se as fizessemos não usufruíamos do Hotel e a carteira ressentia-se.
    Para as grandes cidades (penso que se referem à Capital) tinha de ir-se de avião. De carro nem pensar e, portanto, só com o operador o que já ficava um pouco mais caro. Não me recordo bem, mas mais de 100€ por pessoa, creio.
    Na cidade de Samaná podem ir a pé a partir do Hotel, mas não se aconselha. Aquilo não é lá assim tão seguro e é muito degradada. Mantenham-se pelo Pueblo Principe que é uma zona comercial junto à baía e é do hotel. Terão igualmente contacto com as pessoas, especialmente com as criancinhas que se oferecem para vos engraxar os sapatos a troco de alguns dolares. Nós demos-lhe alguns dolares, mas não engraxámos os sapatos.

    boa viagem

    ResponderEliminar
  3. eu vou para o baia principe cayo levantado em agosto existe la alguem tipo o ''ramon'' k faça as excursoes a um preço acesivel?

    ResponderEliminar
  4. não, até porque o cais de embarque para a ilha principal não tem nada à volta. Só mesmo na cidade de Samaná.

    ResponderEliminar
  5. vou para o cayacoa este verao
    lá ha muitos portugueses hospedados ou a maior parte dos hospedes e de outra nacionalidade?

    ResponderEliminar